Descolonização De Angola – A Jóia Da Coroa Do Imperio Português Saldo dos Comentários ao Livro/Vendedor: Neutro

Pedro Pezarat Correia
INQUERITO
Desconhecido
Português
Um
Como novo
Resumo:

ÍNDICE:
– Introdução;
I – DO CONGRESSO DOS COMBATENTES AO 25 DE ABRIL
-1. Alguma coisa se passa em Lisboa;
-2. Combatentes contra o Congresso;
-3. Do Movimento dos capitães ao MFA;

II – A FASE DA LUTA DE LIBERTAÇÃO
-1. O início do processo de descolonização de Angola;
-2. A luta armada de libertação;
-3. Lutas entre os movimentos de libertação;
-4. Os portugueses perante a descolonização;

III – INDECISÕES NA POLÍTICA PORTUGUESA DE DESCOLONIZAÇÃO
-1. A descolonização no Programa do MFA;
-2. Avomulam-se as contradições;
-3. A Lei n.º 7/74. Primeiro passo para a clarificação;

IV – ANGOLA – FASE DA TRANSFERÊNCIA DO PODER – 1.º PERÍODO: DO 25 DE ABRIL AO ALVOR
-1. Situação pós 25 de Abril;
-2. Falsa partida;
-3. Clarificação difícil;
-4. Negociar a paz;
-5. Tentação “rodesiana”;
-6. Ameaças separatistas em Cabinda;
-7. – Situação no interior das Forças Armadas;
-8. Acordo do Alvor;

V – ANGOLA – FASE DA TRANSFERÊNCIA DO PODER – 2.º PERÍODO: DO ALVOR À INDEPENDÊNCIA
-1. Nuvens negras depois do Alvor;
-2. Cimeira de Nakuru;
-3. Guerra civil;
-4. Suspensão do Acordo do Alvor;
-5. Internacionalização do conflito;
-6. Forças Armadas Portuguesas: bode expiatório;
-7. Luanda, chave da independência;
-8. Independência;

VI – PORQUE REGRESSARAM OS PORTUGUESES
– Conclusão;
– Bibliografia;

Da contra-capa:
“Testemunho essencial para a compreensão do processo de descolonização de Angola, a presente obra debruça-se sobre a participação portuguesa nesse processo, encarada sob um ponto de vista português.
Não pretendendo fazer um tratamento completo e exaustivo da descolonização de Angola nas suas vertentes económicas, social, cultural e, naturalmente, militar, este livro representa, no entanto, um contributo importante para essa tarefa global.”

PEDRO PEZARAT COOREIA
É brigadeiro do exército e foi elemento destacado do Movimento das Forças Armadas (MFA), a que se deve o 25 de Abril, que derrubou o regime protagonizado por Salazar e instaurou a democracia em Portugal.
Fez parte da comitiva representante das Forças Armadas portuguesas que no leste de Angola negociou o cessar-fogo com o MPLA, cuja comitiva era dirigida por Agostinho Neto.
Sobre a descolonização, em particular Angola, tem várias colaborações escritas para livros colectivos e um de sua autoria, ‘ANGOLA, DO ALVOR A LUSAKA’.

Tem várias condecorações nacionais e estrangeiras, entre as quais a Grande Cruz da Ordem da Liberdade.
Como novo
Lisboa
10,00€
Hugo Fernandes
Para ver os contactos do vendedor deste livro,
inscreva-se agora gratuitamente
ou
entre na Bibliofeira